Google+ Followers

quarta-feira, 27 de julho de 2011

TAUTOLOGIA

´
Sabe o que é tautologia ?

    É o termo usado para definir um dos vícios de linguagem. Consiste na repetição de uma ideia, de maneira viciada, com palavras diferentes, mas com o mesmo sentido. O exemplo clássico é o famoso 'subir para cima' ou o 'descer para baixo'. Mas há outros, como pode ver na lista a seguir:

- elo de ligação
- acabamento final
- certeza absoluta
- quantia exata
- nos dias 8, 9 e 10, inclusive
- juntamente com
- expressamente proibido
- em duas metades iguais
- sintomas indicativos
- há anos atrás
- vereador da cidade
- outra alternativa
- detalhes minuciosos
- a razão é porque
- anexo junto à carta
- de sua livre escolha
- superávit positivo
- todos foram unânimes
- conviver junto
- fato real
- encarar de frente
- multidão de pessoas
- amanhecer o dia
- criação nova
- retornar de novo
- empréstimo temporário
- surpresa inesperada
- escolha opcional
- planejar antecipadamente
- abertura inaugural
- continua a permanecer
- a última versão definitiva
- possivelmente poderá ocorrer
- comparecer em pessoa
- gritar bem alto
- propriedade característica
- demasiadamente excessivo
- a seu critério pessoal
- exceder em muito


    Note que todas essas repetições são dispensáveis. Por exemplo, 'surpresa inesperada'. Existe alguma surpresa esperada?  É óbvio que não. Devemos evitar o uso das repetições desnecessárias. Fique atento às expressões que utiliza no seu dia-a-dia.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

PALÍNDROMO

SABEM O QUE É UM PALÍNDROMO?




Palíndromo é uma palavra, ou um número, que se lê da mesma maneira nos dois sentidos, normalmente, da esquerda para a direita e ao  contrário.
Exemplos: OVO, OSSO, RADAR.

O  mesmo se aplica às frases, embora a coincidência seja tanto mais difícil de conseguir quanto maior a frase; é o caso do  conhecido:
 SOCORRAM-ME, SUBI NO ONIBUS EM MARROCOS.

Diante do interesse pelo assunto (confesse, já leu a frase ao contrário), tomei a liberdade de selecionar alguns dos melhores palíndromos da  língua de Camões...

ANOTARAM A DATA DA MARATONA

ASSIM A AIA IA A MISSA

A DIVA EM ARGEL ALEGRA-ME A VIDA

A DROGA DA GORDA

A MALA NADA NA LAMA

A TORRE DA DERROTA

LUZA ROCELINA, A NAMORADA DO MANUEL, LEU NA MODA DA ROMANA: ANIL  É COR AZUL

O CÉU SUECO


O GALO AMA O LAGO

O LOBO AMA O BOLO

O ROMANO ACATA AMORES A DAMAS AMADAS E ROMA ATACA O NAMORO

RIR, O BREVE VERBO RIR


A CARA RAJADA DA JARARACA

SAIRAM O TIO E OITO MARIAS

ZÉ DE LIMA RUA LAURA MIL E DEZ

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Árvore de nossos amigos



"Existem pessoas em nossas vidas que nos deixam felizes pelo simples fato de terem cruzado o nosso caminho.
Algumas percorrem ao nosso lado, vendo muitas luas passarem, mas outras, apenas, vemos entre um passo e outro.
A todas elas chamamos de amigo.
...
Há muitos tipos de amigos. Talvez, cada folha de uma árvore caracterize um deles. O primeiro que nasce do broto é o amigo pai e o amigo mãe. Mostram o que é ter vida. Depois, vem o amigo irmão, com quem dividimos o nosso espaço para que ele floresça como nós.

Passamos a conhecer toda a família de folhas, a qual respeitamos e desejamos o bem. Mas o destino nos apresenta outros amigos, os quais não sabíamos que iam cruzar o nosso caminho. Muitos desses denominados amigos do peito, do coração são sinceros, são verdadeiros. Sabem quando não estamos bem, sabem o que nos faz felizes...

Às vezes, um desses amigos do peito estala o nosso coração e, então, é chamado de amigo namorado(a). Esse(a) dá brilho aos nossos olhos música aos nossos lábios, pulos aos nossos pés.
Mas também há aqueles amigos por um tempo, talvez umas férias ou mesmo um dia ou uma hora. Esses costumam colocar muitos sorrisos na nossa face, durante o tempo que estamos por perto.

Falando em perto, não podemos esquecer dos amigos distantes. Aqueles que ficam nas pontas dos galhos, mas quando o vento sopra, sempre aparecem novamente entre uma folha e outra.

O tempo passa, o verão se vai, o Outono se aproxima, e perdemos algumas de nossas folhas. Algumas nascem num outro verão e outras permanecem por muitas estações. Mas o que nos deixa mais feliz é que as que caíram continuam por perto, continuam alimentando a nossa raiz com alegria.
Lembranças de momentos maravilhosos enquanto cruzavam com o nosso caminho.

Desejo a você, folha da minha árvore, Paz, Amor, Saúde, Sucesso, Prosperidade...Hoje e Sempre...simplesmente porque: Cada pessoa que passa em nossa vida é única. Sempre deixa um pouco de si e leva um pouco de nós.
Há os que levam muito, mas NÃO há os que não deixam nada. Esta é a maior responsabilidade de nossa vida e a prova evidente de que duas almas não se encontram POR ACASO!!!


FELIZ DIA DO AMIGO/AMIZADE

domingo, 17 de julho de 2011

Sinais para a vida

Use Vírgulas para separar as experiências boas das más.
Reticências para quem lhe faltou em alguma situação.
Salpique Exclamações na sua Vida.
Abuse das Interjeições de Felicidade. Faça uma revisão nos seus Sonhos.
Tome Decisões com Letra Maiúscula.
...
E coloque Ponto Final na Tristeza."
(Desconhecido)

Extraido do blog: Pensamentos do Coração

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Ovelha Negra

   


   São várias as línguas que registram essa expressão, usada para classificar uma pessoas que destoa da família ou de um grupo social, como uma ovelha negra se destaca no meio do rebanho branquinho.
   Na antiguidade, todo animal preto era sacrificado aos deuses nas religiões pagãs e eram vistos como "forças da trevas".
   Por isso a expressão é usada para alguém que tem um comportamento diferente do resto de um grupo, de uma família, de uma equipe. Geralmente é um comportamento desagregador, desajustado, violento. Outra versão diz que a expressão vem do pastoreio, em referência a uma ovelha qualquer que em meio a várias outras, dificultaria o trabalho do pastor ao se afastar do grupo.
                O Guia dos Curiosos  pág. 207






quarta-feira, 13 de julho de 2011

Escreva Certo





VIMOS OU VIEMOS?

Quanto ao verbo "vir" devemos usar "vimos", quando se trata de ação presente; e viemos quando se trata de ação passada.
Exemplo:
Ontem viemos aqui e não o encontramos; por isso, hoje, vimos novamente.

SE EU VIR ou  SE EU VER?

O Certo é "se eu vir"
O verbo ver, nas frases em que vem introduzido pelos vocábulos "se" ou "quando", assume as formas "VIR", "VIRES", "VIR", "VIRMOS", "VIRDES", "VIREM"
Exemplo:
 Se eu a vir, faremos as pazes.
Quando nos virmos, trataremos do assunto.

NOME DE CORES:

 Caso 1: Nome de cor originado de  um substantivo.
Quando  originado de substantivo,  o  nome de cor  não sofre flexão, quer seja uma palavra simples , quer seja composta (nome de cor + substantivo).
Exemplos:
Tons pastel
Carros vinho
Calças areia
Cortinas rosa
Blusas azul-turquesa
Exceção: lilás – lilases

Caso  2: Nome de cor  é originalmente um adjetivo

Quando  o  nome de cor é  originalmente um adjetivo, ocorre a flexão, quer seja palavra simples, quer seja composta.
Exemplos:
Caixas brancas
Carros vermelhos
Bolsas roxas
Sandálias douradas.
Olhos azul-claros.
Camisas rubro-negras.