Google+ Followers

terça-feira, 18 de maio de 2010

21 de maio - dia da Língua Portuguesa




        A língua nacional também tem um dia para ser comemorada: 21 de maio. Nossa língua - o português - é falada atualmente não apenas em Portugal e no Brasil, mas em áreas de todos os continentes. Sua origem remonta ao latim falado na antiga Roma. De início, o latim era a língua de um povo que vivia no Lácio, região central da Península Itálica. A partir do século III a.C., porém, com as conquistas militares de Roma (de 264 a.C. a 117 a.C.), cidade situada na região do Lácio, a influência romana se espalhou pelas regiões conquistadas. Conseqüentemente, a língua falada pelos soldados, o latim, também foi levada às áreas ocupadas por Roma, inclusive na Península Ibérica, onde mais tarde surgiriam os reinos de Portugal e da Espanha.
   Havia dois níveis de expressão do latim: o clássico e o vulgar. O latim clássico, modalidade da língua escrita e falada pelas pessoas cultas, foi pouco divulgado e hoje conhecemos apenas por meio da literatura e dos documentos históricos. Enquanto isso, a língua falada pelo povo - o latim vulgar - espalhou-se durante a expansão do domínio romano e foi se diversificando nas regiões conquistadas. Assim, o latim vulgar deu origem às línguas neolatinas ou românicas, como são chamadas as línguas modernas derivadas do latim: o português, o espanhol, o galego, o catalão, o francês, o provençal, o italiano e o romeno.
   Como toda língua viva, desde o seu período de formação a língua portuguesa não tem se mantido uniforme, nem no tempo nem no espaço. Historicamente, recebeu influências de outras línguas e vem se transformando a partir do uso que se faz dela e enriquecendo-se sempre por palavras de diferentes origens. Em cada país em que é falado, o português apresenta variações que se manifestam tanto no vocabulário utilizado quanto na pronúncia, na morfologia e na sintaxe. Essas variações ocorrem também dentro de um mesmo país, de região para região, em conseqüência de fatores sociais, econômicos e culturais.

Influência de outras línguas

   O idioma falado hoje no Brasil é resultado de transformações e acréscimos que se fizeram durante os vários períodos históricos, a partir do contato com outros povos e suas culturas, num movimento vivo que comprova o caráter essencialmente social de uma língua. Assim, além das raízes latinas e gregas - já que na Antiguidade o grego exerceu grande influência sobre o latim -, o português falado no Brasil contém contribuições de outros povos. Veja algumas:

Povos                Contribuições lingüísticas



Germânicos :  elmo, norte, sul, esgrimir, marchar
Árabes :  açúcar, alface, armazém, álgebra, álcool
Indígenas:  carioca, jibóia, cuia, pajé, Iracema
Africanos:   maxixe, acarajé, zabumba, atabaque, canjica
Franceses: balé, abajur, toalete, corveta, intendência
Espanhóis: pepita, caudilho, castanhola, cavalheiro, castanhola
Italianos:  piano, soneto, lasanha, macarrão, maestro
Japoneses: quimono, jiu-jitsu, samurai, haraquiri
Russos:  mujique, czar, soviete, vodca, rublo

   Atualmente, os estrangeirismos mais usados entre nós são os de origem inglesa ou norte-americana: lanche, bar, futebol, voleibol, hambúrguer e muitos outros, o que se explica pela influência econômica e cultural dos Estados Unidos no Brasil, assim como em grande parte do mundo.

Onde se fala o Português?

   Com os descobrimentos marítimos dos séculos XV e XVI, os portugueses levaram a sua língua para vastos territórios por eles conquistados na África, na América, na Ásia e na Oceania. Assim, o português é falado em áreas de todos os continentes. Veja:

Continente                        País ou região


Europa:  Portugal, arquipélago dos Açores e Ilha da Madeira
 Ásia: Macau
Oceania: Timor Leste
América: Brasil
Africa:Angola, Guiné-Bissau e Moçambique, arquipélago de Cabo Verde e ilhas de São Tomé e Príncipe

    Fora das regiões pertencentes ao domínio político de Portugal, do Brasil e das jovens repúblicas africanas, o português é falado ainda em povoações espanholas como Ermisende (na província de Zamora); Alamedilla (na província de Salamanca); em San Martín de Trevejo, Eljas, Valverde de Fresno, Herrera de Alcantara e Cedill (na província de Cáceres); em Olivença e arredores (na província de Badajós).
   Também nas áreas das fronteiras do Brasil, a língua portuguesa tem penetrado em territórios de língua espanhola, formando às vezes um dialeto misto, como o falado nos departamentos uruguaios de Artigas, Rivera, Cerro Largo, Salto e Tacuarembó. É falado ainda por núcleos de imigrantes expressivos, em países como Estados Unidos, França e Alemanha.

Variações linguísticas

   O conceito de língua é bastante amplo e engloba todas as variações da fala, com suas infinitas possibilidades. O idioma falado em um país como o Brasil apresenta variações de região para região, que resultam tanto do uso individual que se faz da língua quanto de fatores geográficos, sociais, profissionais e situacionais. Podemos então imaginar que as diferenças entre o português falado no Brasil e o falado em Portugal são maiores ainda.
   Mesmo no território de uma mesma nação há variações lingüísticas decorrentes de fatores geográficos. Gaúchos e cariocas, por exemplo, usam expressões lingüísticas diferentes. Fatores econômicos e sociais também interferem: as classes sociais que têm acesso à escola, em geral, dominam uma modalidade de língua que goza de prestígio, a chamada norma culta; os que não tiveram oportunidade de acesso à escola e, portanto, não dominam a norma culta são até vítimas de preconceito por se expressarem por meio de variantes menos prestigiadas socialmente.
   Dependendo também da faixa etária, da profissão exercida e dos grupos de convivência, são criados os jargões profissionais e as gírias, que ao mesmo tempo identificam seus usuários a um determinado grupo e excluem dele os que não dominam essa forma de expressão.
   Além disso, um mesmo indivíduo, colocado em diferentes situações de comunicação, costuma fazer uso de modalidades lingüísticas diferentes, mais ou menos formais. O importante é a adequação da linguagem ao ambiente ou à situação em que a pessoa se encontra: em casa, numa conversa descontraída com os amigos, ou proferindo uma palestra para um público desconhecido.

Muitas palavras são diferentes aqui e em Portugal. Veja alguns exemplos:

Brasil                   Portugal

Esparadrapo:        Adesivo
Secretária eletrônica :Atendedor automático
Ônibus:  Autocarro
Salva-vidas:  Banheiro
Fila:  Bicha
Peruca:  Capachinho
Banheiro: Casa de banho
Trem : Comboio
Jogar fora:  Deitar fora
Conversível:  Descapotável
Camisinha: Durex
Durex: Fita-cola
Sorvete:  Gelado
Garoto: Miúdo
Chiclete: Pastilha elástica
Maluco:Taralhoco





Bibliografia consultada:
Guia dos Curiosos, de Marcelo Duarte. São Paulo, Cia. das Letras, 1996.
Sociolingüística: os níveis de fala, de Dino Preti. São Paulo, Nacional, 1974.
A Palavra é Português, de Graça Proença




Nenhum comentário: