Google+ Followers

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

SALOMÃO E A FORMIGA AMOROSA


  

     Conta-se que, um dia, o grande rei Salomão passeava por um lugar retirado, quando passou diante de um formigueiro. Imediatamente todas as formigas vieram aos milhares cumprimentá-lo e asseguram a sua submissão.
    Entretanto, uma delas o ignorou, porque estava ocupada em transportar, grão por grão um enorme monte de areia que estava em seu caminho.
     Espantado com o que via, Salomão mandou chamá-la e lhe disse:
     _ Ó pequena formiga, você jamais vai conseguir fazer essa montanha de areia desaparecer. Esse encargo que você assumiu não está à altura de suas forças.
     A formiga fez uma reverência, mas retrucou:
     _ Ó grande rei, não se deixe impressionar pelo meu tamanho. Só a minha paixão e meu amor é que contam. Uma formiga me fez cair na armadilha de seu encanto e depois foi embora, dizendo-me: "Se você remover esse monte de areia, farei desaparecer o obstáculo que nos separa". Assim vou me dedicar a essa tarefa até o meu último suspiro. E se eu tiver de perder a vida, morrerei ao menos na esperança de juntar-me a ela. Ó rei, aprenda de uma miserável formiga o que é a força do amor, aprenda de um cego o segredo da visão...
                                            
                                    Segundo uma parábola do poeta persa ATTAR (1150-1220)

     Somos todos parecidos com essa formiga, tão miseráveis, tão minúsculos. Mas se formos animados por um grande propósito, por um belo ideal ou por um grande amor, podemos remover montanhas.
     Esta parábola parece acrescentar que o importante não é o fim, mas a esperança, a aspiração (seja ela política, amorosa, artística ou divina).
     Qual é a sua inspiração?
     Que montanha você gostaria de remover?
     Já começou?

                                                                 Do livro: Fábulas Filosóficas













Um comentário:

Carlos Alberto Silva disse...

TIRE-ME A LIBERTADE
MAS NÃO ME PRIVE DE SONHAR
E NÃO PRIVE DE TER ESPERANÇA

"ORA QUEM DESPREZA O DIA DAS COISAS PEQUENAS?" ZACARIA 4:10